Alunos do ensino médio do Pedra 90 fazem ato contra feminicídios em Cuiabá

Os alunos do ensino médio da Escola Estadual Rafael Rueda, no bairro Pedra 90, em Cuiabá, realizaram um ato contra os crimes de feminicídio nesta terça-feira (2). Empunhando cartazes com palavras de ordem, os estudantes engrossaram o coro contra a violência de gênero.

“Somos o grito das que não estão mais aqui”, traz os dizeres de um dos cartazes com a foto de Emilly Bispo, assassinada a facadas pelo ex-companheiro na frente do filho de 4 anos, no bairro, em 2023. “A violência destrói o que ela pretende defender: a dignidade da vida e a liberdade do ser humano. Disque 180”, diz outro.

A manifestação teve como pano de fundo o conteúdo didático ministrado no mês de março pelas professoras de Sociologia, Lívia Cairus, e de Filosofia, Giselma Lemes, e o feminicídio brutal de Emilly Bispo. O crime ocorreu no bairro Pedra 90, em março do ano passado, e completou um ano no último dia 16.

Além do assassinato de Emilly, Mato Grosso registrou outros 45 feminicídios em 2023 e amarga no primeiro lugar no ranking nacional como o estado que mais mata mulheres.

Diante do cenário violento no Estado e de relatos de violência doméstica na família dos alunos, as professoras idealizaram o projeto ‘Marco Contra a Violência Doméstica”, que conscientiza os estudantes sobre a Lei Maria da Penha e contaram a história de mulheres inspiradoras durante as aulas das disciplinas.

A professora Lívia Cairus, uma das idealizadoras, afirmou que a experiência foi recompensadora.

“Ver os alunos empenhados na atividade foi gratificante, principalmente vendo que a educação ultrapassou os muros da sala de aula, já que o ato foi inteiramente protagonizado pelos alunos”, disse à reportagem.

Fonte: NHT – Hipernotícias

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionadas