Emirella aponta crescimento da Patrulha Maria da Penha no atendimento às vítimas de violência doméstica

Em conversa com o Bom da Notícia, neste final de semana, a tenente-coronel Emirella que comanda, em Mato Grosso, a Patrulha Maria da Penha, não escondeu seu orgulho com o crescimento gigante das ações realizadas pela entidade militar.

Ao apontar, igualmente, a importância do trabalho que vem sendo realizado por meio de uma rede de esforços – que ela classificou como uma verdadeira força-tarefa – entre órgãos públicos, coletivos feministas e instituições como a Lirios[Liga de Reestruturação das Irmãs Ofendidas no seu Sentimento], que além de atender as vítimas de violência doméstica, tem ainda trabalhado com os filhos destas vítimas, que presenciaram as agressões dentro de casa.

Lembrando que as ações da Polícia Comunitária e Direitos Humanos, casada com os trabalhos de excelência destas outras instituições e coletivos têm permitido que a maioria destas mulheres voltem a viver em segurança. Sobretudo, que trabalhem, estudem e tenham liberdade para decidir sobre suas próprias vidas.

Bem, recentemente, a Patrulha ganhou um plus, na realização de suas ações, com o recebimento de quatro viaturas, provenientes de emenda parlamentar de autoria do senador Jayme Campos (UB), para uso exclusivo em operações da Lei Maria da Penha.

Bem, recentemente, a Patrulha ganhou um plus, na realização de suas ações, com o recebimento de quatro viaturas, provenientes de emenda parlamentar de autoria do senador Jayme Campos(UB), para uso exclusivo em operações da Lei Maria da Penha. Para Emirella, este foi um importante investimento, pois elas vão potencializar o trabalho na proteção da mulher em situação de violência doméstica e familiar, nos 27 municípios que possuem a Patrulha, no Estado.

“Pela coordenação iremos correr todos os 27 municípios do estado que possuem o nosso trabalho, levando conhecimento e preparo profissional para realizarem o atendimento humanizado às vítimas, e também estruturar estas Patrulhas com móveis, computadores, material gráfico e tokens, investimentos também promovidos pelo Governo do Estado”.

Ao ainda apontar a entrega realizada pelo governador Mauro Mendes(UB), no início de junho, de várias viaturas para as forças de segurança, dentre elas quatro caminhonetes para a Polícia Comunitária e Direitos Humanos, sob seu comando;  além de armas, drones e radiocomunicadores, em um investimentos na ordem de R$ 30 milhões.

“Com policiais militares preparados e com estrutura temos a responsabilidade, compromisso e confiança que alcançaremos mais mulheres que precisam deste suporte, para vencer a violência doméstica no estado”.

E ao falar do crescimento da Patrulha, em Mato Grosso, a tenente-coronel apontou que foi finalizada há pouco tempo a qualificação dos policiais militares que trabalham na linha de frente, para atuar no Programa de Policiamento da Patrulha, com a missão de fiscalizar as medidas protetivas de urgência, deferidas pelo Poder Judiciário. Garantindo, assim, um maior número de policiais instruídos para atuarem nestes tipos de ocorrências.

O cronograma começou por Cuiabá e já passou pela região de Água Boa e Peixoto de Azevedo. E no final de maio e início de junho, outra qualificação ocorreu em Lucas do Rio Verde (31.05), São José do Rio Claro (01.06) e Diamantino (02.06). Um plano de expansão, assegura Emirella, que vai assegurar mais ações no sentido de resgatar o direito à vida, dignidade e segurança das vítimas e de suas famílias. “Nosso objetivo é evitar novos episódios de violência doméstica, principalmente, o crime de feminicídio. Além de promover uma melhor sensação de segurança para mulheres que se encontram nesta situação”.

Nas últimas qualificações, com 229 inscritos, Emirella lembrou da importante participação nos treinamentos de representantes das instituições quem compõem a rede de enfrentamento nos municípios, como a Polícia Militar, a Polícia Judiciária Civil, Ministério Público, OAB-MT, Poder Judiciário, dentre outros.

“Estas qualificações são imensamente importantes pois têm o poder de humanizar, principalmente, o primeiro atendimento às vítimas. E, obviamente, capacitar todos os envolvidos na rede de enfrentamento à mulher em situação de violência doméstica e familiar. Em articulações que têm se mostrado eficientes, com as parceria com toda a sociedade”.

Atuação e redução no número de feminicidios em MT

No primeiro semestre de 2021, o Programa de Policiamento Patrulha Maria da Penha, serviço desenvolvido pela Polícia Militar em 29 cidades de Mato Grosso, realizou 6.180 atendimentos a mulheres vítimas de violência doméstica que possuem medidas protetivas decretadas pelo Poder Judiciário.

Nesse período, não houve registro de feminicídio entre as assistidas pelo Programa. A Patrulha também agiu em 36 descumprimentos de medidas protetivas, efetuando 12 prisões dos agressores em flagrante delito e a comunicação aos juízes competentes nos demais casos. Receberam a visita solidária, 1.558 mulheres, sendo 1.257 são assistidas pela Patrulha.

A comandante da coordenadoria de Polícia Comunitária e Direitos Humanos, tenente-coronel Emirella Martins, destacou o plano de expansão da Patrulha, lembrando que somente em 2021, o programa aumentou sua presença de 15 para 64 municípios em Mato Grosso, em comparação ao ano anterior.

Cidades atendidas

Cuiabá, Santo Antônio do Leverger, Chapada dos Guimarães, Várzea Grande, Nossa Senhora do Livramento, Sinop, Sorriso, Rondonópolis, Jaciara, Alto Araguaia, Barra do Garças, Pontal do Araguaia, General Carneiro, Primavera do Leste, Ribeirãozinho, Torixoréu, Novo São Joaquim, Cáceres, Tangará da Serra, Juína, Juara, Alta Floresta, Primavera do Leste, Comodoro, Pontes e Lacerda e Querência – mais os distritos de: Indianópolis, Vale dos Sonhos e Itaquerê.

Fonte: www.obomdanoticia.com.br

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionadas