Juíza mantém prisão de homem acusado de matar “ex” que colocou fita na boca de bebê

A juíza Luciene Kelly Marciano Roos, da Comarca de Sinop (497 km de Cuiabá), manteve a prisão de Paulo José da Silva, de 27 anos, durante audiência de custódia realizada neste sábado (9). O homem é acusado de espancar até a morte a ex-companheira Antônia Ivila Araújo Nunes, de 20 anos. A mulher ficou conhecida por ter sido filmada pelo suspeito, em 2022, colocando uma fita adesiva na boca da filha de seis meses para tampar seu choro. A vítima sofria de depressão pós-parto.

O corpo de Antônia foi encontrado na madrugada de 3 de dezembro, com hematomas, sugerindo que tenha sido espancada.

Segundo informações, o pai da vítima recebeu um telefonema por volta das 2h informando que o corpo da mulher havia sido encontrado caído no acostamento da rodovia BR-163, próximo à empresa Arroz Engenho.

O Corpo de Bombeiros foi até o local e encontrou o cadáver

RELEEMBRE O CASO

Em 2022, a jovem foi filmada pelo marido colocando uma fita adesiva na boca da filha de apenas 6 meses de idade. Ela alegou na época do crime que não estava conseguindo fazer com que a criança ficasse sem chorar e agiu “por desespero”.

No vídeo, o marido questiona a jovem dizendo: “o que você está fazendo? Tá ficando doida? Acho que você enlouqueceu, perdeu o juízo”.

A gravação causou grande revolta na comunidade, que gerou um movimento de linchamento contra a suspeita. Ela teve de se esconder para não ser agredida.

Fonte: HNT – Hiper Notícias

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionadas