Michelly: “Fila do osso só existe em Cuiabá, que é mal administrada”

A vereadora de Cuiabá Michelly Alencar (União) rebateu as críticas da primeira-dama Márcia Pinheiro (PV), candidata ao Governo do Estado, sobre a chamada “fila dos ossinhos”, que ficou nacionalmente conhecida em 2021 quando o MidiaNews noticiou as doações de um açougue no CPA.

Para a parlamentar, Marcia demonstra “descaso com os mais pobres” ao tentar “jogar a culpa da fila no Estado”.

“É um absurdo o que ela está tentando fazer. Tirar uma culpa que é dela, da falta de Assistência Social da Prefeitura de Cuiabá, que ela deveria cuidar, e jogar para o Estado”, disse.

“Esse jogo de empurra-empurra que ela está fazendo só mostra o descaso dela com os mais pobres”, acrescentou.

No início do mês, quando lançou sua candidatura ao Palácio paiaguás, Marcia afirmou que o governador Mauro Mendes (União) faz uma gestão “excludente”, que gera a fila do osso na Capital.

Segundo Michelly, a fila para adquirir ossos só existe na Capital Mato-Grossense e isso escancara a má administração da Capital, feita pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).

“Se a fila do ossinho existe em Cuiabá, e vemos que é só em Cuiabá, é porque a cidade está muito mal administrada”, afirmou.

“No interior, vemos muitas ações do Estado, tanto em parceria com os municípios, como em aldeias indígenas, em que a Virginia Mendes tem uma forte atuação, e as famílias carentes conseguem receber os auxílios do governo e ter acesso aos programas sociais”, completou.

Ações de Virginia

Michelly citou o trabalho realizado pela primeira-dama do Estado, Virginia Mendes, na área social do Estado.

“Como a assistência social de Cuiabá não funciona, não chega onde deve chegar, Virginia assumiu esse trabalho. Porque ela tem esse olhar cuidadoso com os mais pobres, não consegue ver pessoas passando necessidade e não fazer nada”, afirmou.

“Fui com ela em diversas ações e entregamos cestas básicas e cobertores nos bairros mais carentes de Cuiabá”, emendou.

Fonte: www.midianews.com.br

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionadas