Moradora de Lucas conta como sobreviveu a ataque do maníaco de Sorriso; delegado não descarta outra vítima

Uma moradora de Lucas do Rio Verde, que sobreviveu ao ataque de Gilberto Rodrigues dos Anjos, maníaco que matou uma mulher e três filhas em Sorriso, contou hoje detalhes sobre o crime. Ela e a filha foram vítimas do predador sexual, que invadiu a casa delas durante a madrugada, em uma vila de apartamentos, em setembro deste ano.

A mulher contou que estava dormindo com a filha, quando Gilberto invadiu o local armado com uma faca. “Fiquei com medo. A primeira coisa que ele pegou foi o celular, para não nos comunicarmos com ninguém. Entreguei o celular. Aí ele saiu arrastando minha filha pelos cabelos”, afirmou a mulher, em entrevista ao programa Cidade Alerta, da TV Conquista de Lucas do Rio Verde.

Segundo a vítima, o criminoso levou a filha dela para a cozinha, onde tentou cometer um abuso sexual. “Ela lutou muito com ele. Cortou os dedos dela. A vontade dele era matar. Ela fazia tudo que ele pedia. Eu (estava) no quarto, com a neném. Ele é tão psicopata que ainda ri da cara da pessoa. Naquele momento, a gente não sente nem pisar no chão”, disse a vítima.

De acordo com o relato, a filha conseguiu quebrar a faca e, em seguida, a mãe interveio para agredir o criminoso, que fugiu. “Ele ainda saiu fazendo piada, dizendo ‘eu vou, mas eu volto’. Depois do que aconteceu, ela (filha) ficou desesperada. Tem que tomar remédio para dormir. Até hoje, não consegue dormir naquele horário. Ela vê sempre essa assombração. Ele cortou o pescoço dela. Eu não sinto um alívio (por ele ter sido preso). Sinto muito ódio de um cara desse. É um doente. O que eu quero é que seja feita justiça”.

De acordo com o delegado João Antônio Batista Ribeiro Torres, logo após o crime, foi feita uma operação para tentar prender Gilberto. “A Polícia Civil de Lucas ficou aproximadamente 72 horas na rua utilizando todo tipo de ferramenta tecnológica, mas esse é um sujeito muito esguio, por isso não conseguimos encontrá-lo. Ele descartou aparelho celular, chip, e empreendeu fuga da cidade. Isso nos deixou muito magoados. A gente não consegue prender todas as pessoas com mandados de prisão em aberto”, lamentou.

Segundo ele, também está sendo investigado se Gilberto teria cometido outro crime no município. “É um predador sexual. Está numa escala de psicopatia. Pratica esses delitos em série. Inclusive, a gente até apurou que, talvez, tenha tentado fazer isso com outra pessoa aqui em Lucas há um tempo. Só que a informação ainda não foi confirmada. Também foi o mesmo modus operandi. Ele arrastou uma mulher para um matagal e, com uma faca, tentou consumar o ato. Por motivo alheio, não conseguiu. É um sujeito doente. A Polícia se entristece imensamente com o que aconteceu. O que precisa ficar claro é que atuamos incessantemente para combater o crime, mas, desta vez, não foi possível evitar o fato”, ressaltou.

Conforme Só Notícias já informou, o delegado Bruno França, de Sorriso, afirmou que o primeiro laudo de DNA realizado pela Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) confirmou material genético de Gilberto na adolescente de 13 anos, que foi encontrada morta com a mãe, Cleci Calvi Cardoso, de 46 anos, e as irmãs, Miliane Calvi Cardoso, 19 e de 10 anos, em uma residência do município no último dia 24.

“Isso foi o DNA de quem estava na vítima e deu positivo. Ele já tinha confirmado que tinha estuprado, mas estava alegando que não tinha penetrado, mas agora mostrou que é mentira”, disse Bruno. A Polícia Civil aguarda os exames das outras três vítimas, para inserir no inquérito policial.

Gilberto foi preso no dia 27, em poucas horas após a localização dos corpos, transferido para Sinop e, semana passada, recambiado para a penitenciária central em Cuiabá. Ele está com prisão decretada por tempo indeterminado.

No dia que foi preso, ele confessou que atacou as quatro vítimas de sexta para sábado. Depois de esfaquear três vítimas e quando ainda estavam agonizando, ele cometeu abuso sexual contra a mãe e duas filhas. Já a menor de 10 anos morreu asfixiada. Mãe e filhas foram sepultadas em Sorriso. A Polícia Civil continua as investigações para concluir o inquérito.

Fonte: Sinop Notícias

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionadas