8ª edição do Prêmio Ruth Marques Corrêa da Costa

Na tarde de ontem, ocorreu a 8ª edição do Prêmio Ruth Marques Corrêa da Costa promovido pelo Conselho Estadual dos Direitos da Mulher no auditório da OAB/MT – Ordem de Advogados do Brasil em Mato Grosso.

O evento contou com um Colóquio retratando os avanços e retrocessos da Lei 11.340/2006 conhecida como Lei Maria da Penha, as painelistas foram a defensora pública e coordenadora do NUDEM – Núcleo de Defesa da Mulher Dra. Rosana Leite Antunes de Barros, a delegada da Delegacia Especializada da Mulher de Cuiabá, Dra. Jorzileth Magalhães Criveleto e a Presidenta do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher, Sra. Ana Carolina Jesus da Costa, nos painéis apresentados, foram destacados as atualizações ocorridas na lei neste ano de 2023, o anuário dos atendimentos da delegacia especializada da mulher de Cuiabá e o desafio da realização de forma concreta das políticas públicas para mulheres,

Nessa edição 17 mulheres foram indicadas ao prêmio que passam por votação dentro do conselho, saindo dois nomes vencedores, porem todas as indicadas foram homenageadas. A personalidade vencedora na categoria em vida foi a Professora Rosa Neide Sandes de Almeida, com indicação feita pelo SINTEP – Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso, Rosa Neide é mestra em Educação pela UFMT, com intenso envolvimento na defesa da escola pública e dos direitos sociais, aproximou-se das bandeiras de Luta do Partido dos Trabalhadores, filiando-se em 1986 e nunca mais abandonou a militância política partidária. Exerceu mandato na Câmara como Deputada Federal de 2019 a 2023 e nesse período como deputada dedicou-se a impedir mais retrocessos nos diretos dos trabalhadores da educação, com olhar especial de atuação à defesa dos direitos das Mulheres. Como deputada federal apresentou 14 Projetos de Lei, visando o empoderamento das mulheres, o combate à violência doméstica e a cultura do machismo.

Já na categoria in memoriam o nome eleito foi da saudosa Adriana Catelli Corrêa indicada pela ativista social Léia Santos, Adriana foi uma das maiores defensoras dos direitos das mulheres do Estado de Mato Grosso, militante incrível pelos direitos humanos e pela saúde da mulher, especialmente pelas acometidas pelo câncer de mama. Foi conselheira estadual dos direitos da mulher por mais de 10 anos e vice- presidenta por mais de um mandato.

Sua essência transbordava amor, apaixonada pela sua família, pelo CEDM e pela MTmamma onde foi pilar nas lutas de direito à saúde. Adriana, tinha 53 anos com mais de 16 anos de experiência como docente do Ensino Fundamental e Médio, Adriana, que era especialista em metodologia de pesquisa em história. Em 2006 ela descobriu que tinha câncer de mama e precisou parar suas atividades para se tratar. Teve que fazer a retirada das duas mamas, radioterapia e hormonioterapia. Em 2009 teve um tumor secundário no endométrio e precisou fazer a retirada total do útero. Em outubro de 2021, Adriana teve crises de falta de ar fortíssimas e teve que ser internada. Em abril de 2022 Adriana encabeçou junto com as companheiras Léia Santos e Isabel Silveira o Portal Mulher MT, atuando como gerente geral. Embora com certa dificuldade, Adriana estava sempre presente nos eventos em prol dos diretos das mulheres e sempre um nome para representar o Conselho em qualquer esfera, com a fala mais pontual e precisa indo de encontro com o que nós mulheres precisamos.

A cerimônia de premiação foi de muita emoção, o ambiente foi tomado por uma comoção ao ser anunciado o nome da Adriana Catelli Correa, sendo representada pela sua família e amigas. O legado de mulheres tão corajosas e esperançosas nos permite nunca retroceder.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionadas