Antes de morrer, homem denunciou que recebia ameaças de morte por ser gay

Valdenir de Souza Lucena, 45, que estava desaparecido há quase 2 meses em Sorriso (420 km ao Norte de Cuiabá) e que foi encontrado enterrado no quintal da própria casa na tarde de quarta-feira (4), no bairro Industrial, já tinha denunciado à polícia que vinha recebendo ameaças de morte pelo fato de ser homossexual.

Em uma das denúncias, qual o  teve acesso, aconteceu em setembro de 2021. Nela, a vítima relatou que estava recebendo áudios por WhatsApp, de pessoas que ele não conhecia, com ameaças de morte pelo fato de ele ser gay. Na época, ele chegou a passar aos policiais os dois números de telefone que estavam fazendo as ameaças.

Antes disso, ele também já tinha feito outra denúncia. Em outro caso, chegou a flagrar dois homens em uma motocicleta na porta de sua casa dizendo “é aqui que ele mora”. Nesta quarta-feira, 3 jovens, sendo dois menores e um maior, de 16, 17 e 18 anos, foram autuados pelos crimes de homicídio e ocultação de cadáver.

‘Andava com pessoas estranhas’

Conforme a família da vítima, ele não usava drogas, mas andava com pessoas estranhas. Durante a investigação do desaparecimento, a Polícia Civil já investigava a participação dos 3 jovens.

Na manhã de quarta, dois deles foram até a delegacia registrar um boletim de ocorrência de extravio de documento, momento em que as equipes de investigação decidiram entrevista-los. Ao serem questionados, eles confessaram o crime.

Informaram que eles, junto com o rapaz de 17 anos, mataram e enterraram o corpo de Valdenir no quintal da casa da vítima, debaixo de um pé de árvore. Segundo eles, o crime foi motivado pelo fato de a vítima ‘ter mexido com crianças’.

Mas, a Polícia Civil foi cautelosa e afirma que esse fato não foi explicado com detalhes, tão pouco não há nenhuma denúncia contra a vítima por esse tipo de crime. O que se sabe é que os 3 jovens estavam morando na mesma residência que a vítima e no mesmo local que o corpo estava enterrado.

Perícia foi até o local e retirou o corpo da vítima de uma vala de 40 cm. O rapaz de 18 anos foi preso e os outros dois tiveram o pedido de internação enviado à Justiça.

Fonte: www.gazetadigital.com.br

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionadas