Federação da esquerda deve consolidar chapa com Maria Lúcia e Márcia Pinheiro

Os três partidos que compõem a Federação Brasil da Esperança (PT, PC do e PV) estão próximos de consolidar uma chapa ao governo do Estado encabeçada pela professora Maria Lúcia Cavalli Neder (PC do B). Ao Senado, a primeira-dama Márcia Pinheiro (PV) disputa indicação com a professora Enelinda Scala (PT).

Em reunião realizada  na manhã desta terça-feira (21),  no escritório em Cuiabá da deputada federal Rosa Neide (PT), representantes do PT, PC do B e PV apresentaram os nomes de cada partido para compor as chapas majoritárias para eleições e estabeleceram que até o dia 30 será definido quem serão os candidatos.

Para o governo do Estado, enquanto o PC do B apresentou o nome de Maria Lúcia, o PT levou o nome do professor Domingos Sávio. Entretanto, interlocutores garantem que o pré-candidato petista se mostrou receptivo a uma candidatura da ex-reitora da UFMT e se mostrou disposto a trabalhar pela unidade em torno do nome dela e do fortalecimento do palanque de Lula (PT) à Presidência da República.

Maria Lúcia é a preferida, inclusive, do ex-presidente Lula, que fez uma exigência de que a Federação tivesse candidato próprio ao governo do Estado. Ela foi a 10ª reitora da Universidade Federal de Mato Grosso durante a gestão petista do governo Federal, época na qual cultivaram boa relação. Em 2013 filiou-se ao PC do B e foi testada nas urnas em 2018, quando disputou vaga ao Senado em 2018, e obteve 172.259, sendo a sétima colocada.

Agora, no entanto, as circunstâncias são outras e ela pode polarizar a disputa ao governo sendo a “candidata do Lula”, enquanto o atual governador e virtual candidato à reeleição, Mauro Mendes (União), deve abraçar a figura de candidato do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Senado

Já ao senado o PT apresentou o nome da militante histórica Enelinda Scala, professora e sanfoneira, enquanto o PV indicou a primeira-dama de Cuiabá, Márcia Pinheiro. A filiada do PV estaria na frente nas discussões por aparecer com melhor pontuação em pesquisas internas.

E apesar de nunca citarem o nome do prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro (MDB), para evitar uma suspeição de ingerência dentro da Federação, a Márcia teria apoio irrestrito do administrador do maior município de Mato Grosso e, consequentemente, do maior colégio eleitoral do estado.

Fonte: www.leiagora.com.br

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionadas