Moradora de MT pede exclusão de paternidade por falta de vínculo afetivo; pai sumiu há três décadas

Uma moradora de Mirassol D’Oeste, L. B. dos S. T., protocolou um pedido na 1ª Vara da Comarca do Município, buscando a declaração negativa de paternidade e a retificação no seu registro civil de nascimento para remover o nome de A. C., seu pai registral, do documento. A ação tem como base a falta de vínculo afetivo entre a requerente e seu pai de registro, bem como o desaparecimento deste desde 1988.

De acordo com a documentação anexada, a mãe de L. B. dos S. T., V. F. dos S., teve um relacionamento breve com A. C., que desapareceu há mais de 30 anos, sendo considerado morto. A requerente, que sempre teve J. J. T. como seu pai afetivo, justifica seu pedido com o desejo de corrigir um registro civil que não reflete sua realidade e para evitar transtornos futuros.

Uma moradora de Mirassol D’Oeste, L. B. dos S. T., protocolou um pedido na 1ª Vara da Comarca do Município, buscando a declaração negativa de paternidade e a retificação no seu registro civil de nascimento para remover o nome de A. C., seu pai registral, do documento. A ação tem como base a falta de vínculo afetivo entre a requerente e seu pai de registro, bem como o desaparecimento deste desde 1988.

De acordo com a documentação anexada, a mãe de L. B. dos S. T., V. F. dos S., teve um relacionamento breve com A. C., que desapareceu há mais de 30 anos, sendo considerado morto. A requerente, que sempre teve J. J. T. como seu pai afetivo, justifica seu pedido com o desejo de corrigir um registro civil que não reflete sua realidade e para evitar transtornos futuros.

Fonte: VG notícias

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionadas