Pastor é preso após torturar enteado de 7 anos, que corre risco de amputação do pênis

Um terrível caso chocou a cidade de Apiacás, localizada a 1.005 km de Cuiabá, onde um garoto de apenas 7 anos foi submetido a tortura pelo padrasto, que é pastor de uma igreja evangélica.

O motivo do castigo bárbaro foi o fato da criança ter feito xixi na cama.

O autor do crime foi preso em Alta Floresta nesta terça-feira (23), após a mãe do menino, de 25 anos, levá-lo a uma unidade de saúde. Os médicos constataram que o pênis da criança estava necrosando e que havia risco iminente de amputação.

Segundo relatos da vítima, o padrasto amarrou seu órgão genital com um barbante como forma de punição, mantendo-o nessa condição por três dias. A mãe, ciente do castigo desumano, não tomou nenhuma atitude para proteger seu filho.

Ao suspeitarem das lesões, os profissionais de saúde acionaram o Conselho Tutelar e a polícia. Durante as investigações, foi descoberto que a mãe da criança também estava envolvida no caso e foi detida em flagrante.

A delegada Paula Meira Barbosa explicou que tanto o padrasto quanto a mãe responderão pelo crime de tortura mediante castigo, cuja pena pode variar de dois a oito anos de prisão.

Fonte: Terra Digital MT

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionadas